Sem categoria: Brasil registrou abertura de mais de 270 mil MEIs em fevereiro

Em fevereiro deste ano, o país ganhou 346.480 mil novos negócios e, dentre eles, 274.145 são microempreendedores individuais. De acordo com o Indicador de Nascimento de Empresas da Serasa Experian, mesmo com números expressivos o comparativo anual (fevereiro de 2021 ante fevereiro de 2022) mostra alta de apenas 0,8% na criação de empresas gerais e queda de 0,7% em relação as MEIs. No ano a ano foram as Sociedades Limitadas que registraram a maior expansão, essa de 33,5%.

Ainda em fevereiro deste ano, o setor que mais foi impulsionado pela abertura de empresas foi o de serviços, com 240.809 novos negócios e um crescimento de 3,9% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Em sequência está o segmento de comércio, com 76.756 e as indústrias com 25.506. Ambos marcaram quedas no ano a ano, essas de 5,7% e 4,2%, respectivamente.

Na análise por região foi a Sudeste que obteve o maior destaque, registrando 179.956 negócios criados. Em ordem decrescente estão a Sul (61.978), Nordeste (56.761), Centro-Oeste (30.509) e Norte (17.276).

Já levantamento da Contabilizei mostra que em março o número total de empresas abertas cresceu 3,6% em comparação a fevereiro, e 1,7% em comparação a janeiro. Há também um recorde histórico de abertura de empresas não MEI (micro e pequenas empresas, empresas de grande porte, indústrias e agronegócios) realizadas em um único mês. O montante de CNPJs Não MEI abertos em março aproximou-se de 80 mil, número nunca alcançado anteriormente.

A pesquisa mostra ainda que o Brasil registrou queda de 4,8% no número de abertura de novas empresas no primeiro trimestre de 2022, com 1.022.789 milhão de novos CNPJs abertos. No mesmo período do ano passado, foram abertas 1.074.501 de novas empresas. Já em comparação ao primeiro trimestre de 2020, há um crescimento de 19%.

De 1.022.789 milhão de empresas abertas, 79% são MEIs, equivalente a 809.072 mil CNPJs. Enquanto 21%, equivalente a 213.717 mil, são micro, pequenas empresas, empresas de grande porte, indústrias e agronegócios.

Dentre estes 213.717 mil novos CNPJs, 189.954 pertencem a micro e pequenos negócios, ou seja, aproximadamente 88,9% deste todo é representado pelos micro e pequenos empreendedores que continuam aumentando, já que em comparação ao primeiro trimestre de 2021, este número cresceu 8,5%.

Pelo 10º ano consecutivo, São Paulo é o estado que mais abre empresas no Brasil, seguido de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul. Além disso, por pelo menos 10 anos consecutivos, estados do Sul e Sudeste lideram o ranking de abertura de empresas no Brasil.

Ainda segundo o estudo, atualmente, há mais de 21 milhões de empresas ativas no Brasil. O setor de serviços representa mais da metade do total de CNPJs abertos no país. Empresas de serviços (profissionais liberais e autônomos, prestadores de serviços especializados ou não em empresas de todos os portes; outros (cnaes não identificados)

Já considerando as micro e pequenas empresas, com exceção dos MEIs, o cenário não é diferente e o mesmo setor lidera o mercado. Neste trimestre, a abertura de empresas voltadas para a prestação de serviços cresceu 3,8% em comparação à mesma época do ano anterior, ao mesmo tempo que há um declínio de 1,7% na abertura de empresas de comércio.

Ao comparar os segmentos que mais cresceram em faturamento médio no ano de 2022 com o período pré-pandemia, os setores de turismo, eventos, engenharia e fotografia apresentaram crescimentos expressivos no primeiro trimestre. Já na comparação entre os primeiros trimestres de 2021 e 2022, houve um declínio no faturamento médio desses setores.

Fonte: Monitor Mercantil

Receba nossas dicas e novidades no seu e-mail